Tradutor - Translator

Tecnologia do Blogger.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Embolia Pulmonar (Abdominoplastia)

Em todo o decorrer do meu pós operatório, pude contar com um médico maravilhoso, Dr Daniel Regazzini (cirurgião plástico) que ligava todos os dias para a minha filha para perguntar como eu estava, se eu estava caminhando, que eu não podia ficar muito tempo parada, apesar de muito ocupado, esteve sempre disponível para todas as dúvidas que surgiram, sempre muito prestativo e atencioso.
1 dia após a retirada do dreno, me sentia bem por ter tirado aquela ‘coisinha’ que incomodava para andar, deitar, etc...(rs), era uma quinta-feira de manhã comecei a sentir uma dorzinha no lado esquerdo, que era semelhante à cólica causada por gases..., sabe aquela dorzinha chata que incomoda quando corremos ou andamos um pouco rápido demais e aí dá aquela pontadinha meio de lado, parecendo gases mesmo??? Me enchi de luftal para ver se melhorava, nem ficava mais sentada, me apoiava em uma cadeira e ficava de pé massageando a barriga para ver se passava..., e nada de passar aquela dorzinha chata e incômoda. Passei a noite toda com aquela sensação de gases horrível, na sexta-feira de manhã antes de ir trabalhar minha filha disse: ‘Mãe, vou ligar para o Dr. Daniel e falar que você não dormiu direito falando que está com gases’... e eu a repreendi: Não, Dr. Daniel está ocupado e você vai ficar importunando ele com bobagens, se eu não melhorar até na hora do almoço aí sim você liga pra ele.
Eu já tinha tirado a ‘cinta’ durante a noite para ver se melhorava os ‘gases’, mas não tinha solução. Eu fiquei sozinha em casa, minha filha foi trabalhar e minha irmã havia viajado, pouco antes do horário do almoço, a sensação de gases aumentava, aquela dorzinha do lado esquerdo também, e percebi que quando eu tentava respirar é que doía, e assim eu ia diminuindo um pouco a profundidade da respiração para sentir menos dor..., até que em um determinado momento, quando estava indo até a cozinha, parei de pé próximo a maquina de lavar roupas e tive que me deitar sobre ela, porque repentinamente a dor aumentou..., e eu não conseguia mais respirar direito, a respiração tinha que ser bem suave, bem fraquinha para suportar a dor, neste momento foi que percebi que algo muito sério ou muito grave estava ocorrendo comigo.
Imaginei que teria que procurar ajuda de alguma forma, minha filha disse que viria no horário do almoço para me ver... Então fiz a loucura de entrar chuveiro e tomar banho sozinha, sem ajuda..., foi uma loucura, pensei que não iria conseguir ficar de pé, mas com muita dificuldade consegui tomar um banho rápido e me enrolar no roupão. Quando entrei no quarto e sentei na cama ouvi minha filha parando o carro e entrando rápido, muito assustada pediu para eu me arrumar que iríamos para o ‘pronto socorro’, eu quis dizer que não, mas neste momento ela me olhou bem séria e disse: ‘Mãe, liguei para o Dr Daniel, e ele disse que pelos sintomas você está com trombose, temos que ir imediatamente para o Hospital Vera Cruz que a irmã dele Dra Renata Regazzini (Cardiologista) já ligou lá e já estão te esperando... Fiquei desesperada, assustada, quando fui chorar de medo ou sei lá, quase não conseguia respirar mais..., percebi então que não poderia sucumbir às emoções, eu tinha que agüentar firme e assim fomos para o pronto socorro..., chegando lá, realmente já estavam me esperando, eu era uma paciente com suspeita de trombose, e eu na minha ‘santa ignorancia’ imaginava que trombose era algo que acometia apenas as pernas, e eu não estava sentindo nada nas pernas, então como poderia ser trombose?
Entrei no hospital andando devagar, mas com minhas próprias pernas, a dor semelhante à gases no lado direto aumentava na mesma proporção em que a respiração diminuía, me colocaram em uma maca e ligaram um pouco de oxigênio enquanto eu fazia vários exames, incluindo a TOMOGRAFIA, que foi a qual deu o diagnóstico assustador = TEP (Trombo Embolismo Pulmonar). Haviam passado cerca de 40 minutos que eu tinha chegado ao hospital, apenas ouvi a médica gritando para pararem a maca em que eu estava no corredor, pois estavam me levando pra tirar um raio X, as palavras da Dra Liane ficaram gravadas em minha mente = “Para tudo porque é TEP”, levem-na para a UTI imediatamente, neste momento eu já não conseguia andar, nem falar, tampouco respirar direito, a dor era tão forte que ao invés de respirar eu soluçava..., era um soluço dolorido, era como se tivesse uma máquina dando choques no meu pulmão..., ouvi apenas a médica falando com minha filha, explicando sobre o diagnostico e em seguida estava eu lá, na UTI, eu parecia mais máquina do que gente, de tantos que eram os fios ligados à mim.
Fiquei 5 dias na UTI e mais alguns outros no leito do Hospital Vera Cruz, aprendi muito sobre a trombose, que pode se formar na perna, um coagulo sanguineo e este viaja pelas veias, e vai subindo, podendo assim, parar no cérebro, coração ou pulmão, que foi o que ocorreu comigo.
Travei desde então uma luta pela vida, tratamento rigoroso com anticoagulantes durante 7 meses para desfazer o coagulo, exames de sangue semanais, acompanhamento médico cardiológico, algumas seqüelas (atelectasia laminar no pulmão / crise de bronquite), mas tudo resolvido com fisioterapia... O mais importante é : EU SOBREVIVI tenho uma nova data de nascimento, 27/05/2010!

14 comentários:

Telma F 26 de julho de 2012 02:36  

Obrigada pela informação.
Estou na Internet pesquisando a respeito, porque minha irmã está com esse diagnóstico, ocasionado também por uma abnoplastia.
Sua experiência me deu luz.
Obrigada.
beijos

Mariza Souza 3 de agosto de 2012 14:59  

Telma,

fico muito feliz a cada vez que surge um comentário como o seu, pois foi com a finalidade de ajudar a salvar vidas que fiz esse blog. Espero que tua irmã esteja bem.
Em breve postarei mais informações sobre a utilização de anticoagulantes.

Bjinhos

Mauricio Penhalver,  28 de fevereiro de 2014 09:36  

Tive os mesmos sintomas descritos, também achei que era gases, vai uma dica para quem costuma viajar de avião antes de seguir viajem passem no vascular para ver se está tudo em ordem, no meu caso estava no Chile e depois na Argentina e devido a altitude e por ter varizes, estas condições me levaram a ter embolia pulmonar, isto aconteceu fazem 30 dias, hoje tenho que dormir no sofá, não por que a briguei com a mulher rsrsr e sim por tenho dores no peito tipo enfincadas e nos ombros.

Mariza Souza 4 de março de 2014 07:07  

Mauricio, espero que você esteja melhor... A embolia pulmonar é realmente traiçoeira, é raro quando a pessoa sente logo no inicio os efeitos da trombose nas pernas. Por tudo o que comentamos é que acho importante deixar aqui registrado todas essas informações.
Grande abraço

Sthefany Gaspar 4 de julho de 2014 09:39  

Agora fiquei com um pouco de medo, fiz a abdominoplastia e estou sentindo dores como se fossem de gases, mas n está doendo para respirar. As vzs me da umas dores fortes como se fossem no estômago só do lado direito tenho que sentar imediatamente para a dor passar.

Anônimo,  7 de julho de 2014 07:38  

Sthefany, você chegou a tomar luftal? Comentou os sintomas com seu medico? No meu caso tomei quase 1 frasco de luftal e nada.... Espero que voce esteja melhor. Mariza Souza

Anônimo,  8 de julho de 2014 20:03  

Ola Mariza. Fiz abdominoplastia ha 35 dias e ha 4 dias comecei a sentir os mesmos sintomas que voce descreve. Ja fui 2 vezes para a unidade de pronto atendimento, onde sou medicada c analgesicos fortissimos e liberada. Poderia me passsar seu e mail? Entre em contato comigo por favor nelma.1986@gmail.com

Unknown 12 de fevereiro de 2016 17:12  

Olá! Mariza vc não usou as meias anti trombo? Vc tem varizes ou histórico na família?

Andreia bernardo 12 de fevereiro de 2016 17:13  

Histórico de trombose ou embolia pulmonar?

Mariza Souza 13 de fevereiro de 2016 03:29  

Andreia, não tenho histórico familiar de trombose nem tampouco varizes. No último ultrassom que fiz das pernas, o médico me disse que se não fosse minha história verbalmente contada ele jamais imaginaria que um dia eu tive tromboflebite, muito menos uma embolia pulmonar grave! Eu era totalmente inexperiente com relação à prevenção e posso dizer que não fui orientada adequadamente, não usei meias antitrombo, apenas a bota massageadora no hospital e duas doses de clexane. Bem, hoje eu seu exatamente o que deveria ter feito... Meu blog está desatualizado, mas preciso contar que em 2013 fiz outra cirurgia de grande porte que foi um sucesso com as prevenções e acompanhamento do cardiovascular. Eu tive hérnia de hiato, estava acima do peso, pressão alta, fui autorizada a fazer a cirurgia bariátrica.

Unknown 8 de julho de 2016 18:23  

Olá, vou fazer uma abdomenoplastia e colar prótese na mama e confesso que estou muito preocupada,já fui ao angiologista,pois sinto muitas dores nas pernas,estou tomando um remédio e vou usar meia,tem horas que me dá vontade de desistir

Mariza Souza 9 de julho de 2016 06:36  

Quando será sua cirurgia? Tem vários tipos de prevenção, seguindo as orientações poderá ficar tranquila.

Anônimo,  16 de agosto de 2016 06:44  

Até agora estou assustada.
Fiz abdominoplastia dia 21/7, na visita semanal ao médico perguntei da falta de ar,ele disse que era normal,e 8 dias após senti uma dorzinha na perna e um embolo no local, falei com meu médico e ele pediu que eu fizesse uma ultra da perna,fui para o hospital e me medicaram com suspeita de trombose e logo mais a noite fizeram a ultra, porém não acusou nada, fiquei feliz , mas ainda sim não recebi alta, a noite quando trocaram o plantão do médico, um médico foi me visitar porque o quadro de anemia chamou atenção, E conversando com ele,ele disse que provavelmente meu caso era de embolia pulmonar, que teria q me internar no CTÍ naquele instante,fiquei apavorada.. E assim foi feito...muitos médicos, vários procedimentos, apavorante, era grave! Foram 5 dias com máscara de oxigênio, muitos medicamentos, sondá e banho no leitó. Ainda fiquei internada por mais 7 dias no hospital... Agora, já em casa, tratamento com pneumonologista , fisioterapia e remédio anticoagulante sem tempo determinado... não imaginava passar por isso.. acho que ninguém imagina .. Mas graças a meu bom Deus.. sobrevivi

Flavia Cordeiro,  3 de março de 2017 14:06  

Fiz redução das mamas no dia 11.02.17 a cirurgia foi ótima depois de 6 dias senti uma dor do lado direito nas costas que parecia cólica renal .Liguei para o cirurgião e ele disse para correr para um pronto socorro pois não era normal. Chegando no hospital fui diagnosticada com TEP fiquei na Uti 5 dias e depois mais 2 no quarto. Depois tive alta e agora estou tomando anticoagulante. Fico feliz e grata a Deus por estar com vida pois tenho um filho que é tudo para eu. Porém fico chateada pq muitas nao tem a mesma chance de vida. E senti muito com a falta de informação pois no momento que senti a dor pensei que fosse cólica. Como saímos para um pós operatório sem informações do que pode acontecer? E outra qual a prevencao para que isso não venha Acontecer?fiz todos os exames nao tenho histórico e estava usando as meias anti trombo. Como foi acontecer.?

Chico Xavier

Reflexão

A sua vida será sempre o que você esteja mentalizando constantemente. Em razão disso qualquer mudança real em seus caminhos, virá unicamente da mudança de seus pensamentos.

Chico Xavier por André Luiz




Leia a Mensagem...

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP